Boa tarde fofoletes.
Como vocês bem sabem eu amo meu cachorro, meu filhote Sansão, desde pequena gostei muito de cachorro, quando eu era bem pequena tinha um vira lata chamado Charlie Brown, eu tinha 2 anos, e ele era muito bonzinho e inteligente, meu pai diz que um dia eu tava com um potinho tirando leite dele, agora eu pergunto da onde eu queria que o leite saisse? kkk pois é crianças fazem essas coisas (coisas que vocês não sabiam sobre mim) Yes eu tive infância!

Onde nós estivéssemos meu pai falava pra ele :"Charlei cadê a Nita?", ela saia correndo me acahava e ficava sentadinho do meu lado, meu pai podia ir atráz que o Charlei me achava.
Infelzimente um dia ele saiu para dar uma voltinha e nunca mais voltou, por anos lembrava dele e chorava.

Depois eu tive uma cadelinha que era da mãe da minha mãe, a Tieta, quando eu fui embora morar com meu pai, disse que ela sentiu tanta minha falta que parou de comer, adoeceu e morreu.:/

Depois eu tive a Susi, que ficou comigo pro anos, ela morreu velhinha, ela ficava presa sempre um dia se soltou e morreu invenenada. :/

Aí tivemos o Rock e o Colerinha que foram filhos da Susi, doamos os dois quando o Max veio um boxer, que por concidência é da mesma raçA e o mesmo nome na notícia super emocionante abaixo:


Cão leva dois tiros ao salvar vida de dono em assalto no RS




"Quando decidiu levar Max para casa, com poucos dias de vida, Seu Osmar nem imaginava que o cão salvaria sua vida, pouco mais de três anos depois. No último domingo (23), o animal chegou a levar dois tiros para defender seu dono de um assalto, no centro da cidade de Garibaldi, no Rio Grande do Sul.

“Eu estava chegando do interior e estacionei minha caminhonete em frente ao comércio que tenho, no centro da cidade. Havia deixado Max no terreno dos fundos do comércio quando fui abordado por dois homens que anunciaram o assalto. Eles queriam levar a caminhonete, mas eu disse que estava sem a chave. Foi quando um deles sacou o revólver. Só tive tempo de desviar e gritar ‘pega Max’”, conta Osmar Persico, 47 anos.

Seu Osmar foi atingido de raspão por um tiro na testa. Ao ver o sangue, o cachorro obedeceu ao dono e atacou os assaltantes. “Ele viu o sangue e ficou uma fera. Saiu como um foguete para atacar os ladrões. Um deles fugiu a tempo, mas o outro foi dominado pelo Max. Para se defender, o ladrão acabou atirando no cachorro. O Max me livrou do assalto e salvou minha vida”, diz.

saiba mais

Cachorro salva vida de dono nos EUAOs ladrões fugiram sem levar nada. O boxer, mesmo ferido, passa bem, e se recupera das lesões causadas pelos disparos.

“Ele teve duas perfurações por bala, uma no peito e outra na pata dianteira direita, mas se recupera bem. Já está se movimentando e imobilizamos apenas a pata ferida. Ele é um cão muito forte, corajoso, acredito que não ficará com sequelas”, diz ao G1 o veterinário Ari Glock, que atendeu Max após a emergência e segue acompanhando o tratamento do animal.

Max deve continuar morando no terreno próximo ao comércio de Seu Osmar, já que a família mora em um apartamento. "Estamos sempre por perto, passeamos todos os dias, e isso vai continuar. Ele já era importante para nós, e agora, para mim, vai ser especial para sempre", afirma Persico."

Lindo não é mesmo?

A gente não sabe como um amor tão grande pode nascer, mais pode!

O meu Max, que na verdade é o Max do meu pai, está super bem, ele fica na caso do meu avô, é grandão super dócel e lindo.

O meu só meu e tão amado Sansão vocês sabem né? bixo preguiça que só que, eu amo sempre mais.

Bjos meninas

Anita Campos


2 comentários:

Daniela Nogueira disse...

Aiai, meu cachorrinho foi sacrificado ano passado e até hje sentimos falta dele =(

bjim!!

Mãe do VH disse...

Meu filho vive pedindo um, masi dentro de apartamento não da...
Eu ja tive 2 cachorros e os dois morreram de velhice depois deles nunca mais tive coragem ter outro, sofri muito com a morte deles...